Ir para o Conteúdo

17 April 2009

Novo relatório da Aberdeen mostra as dificuldades que empresas encontram com crescentes exigências e altos custos ao aderirem à iniciativas ambientalmente responsáveis

PLANO, Texas, 20 de maio de 2009 – A Siemens PLM Software, unidade de negócios da Divisão de Automação Industrial da Siemens e líder global no fornecimento de software e de serviços de gerenciamento do ciclo de vida de produtos (PLM, de Product Lifecycle Management), responde às constatações da série de relatórios Industry Sector Insight divulgados pelo Aberdeen Group. Os relatórios baseiam-se nos resultados de uma pesquisa intitulada “Greening Today’s Products: Sustainable Design Meets Engineering Innovation” (Os produtos ecologicamente corretos de hoje: A combinação de desenho sustentável com inovação em engenharia) que identifica melhores práticas para o desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos. Para reiterar sua pesquisa a Aberdeen pesquisou estratégias para o desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos em cinco mercados verticais e analisou os principais objetivos de cada um desses mercados.

Apresentada em abril de 2009 e abrangendo os mercados aeroespacial e defesa, automotivo, bens de consumo embalados, alta tecnologia e eletrônica e maquinário (fabricação de equipamentos industriais), a pesquisa identificou as principais iniciativas estratégicas e desafios específicos a cada estratégia de desenvolvimento de produto em cada um desses segmentos. Dependendo do mercado, as estratégias compreendiam desde a criação de produtos econômicos em termos de consumo de energia ao uso de materiais ecologicamente corretos e reciclados para substancial economia de custos.

“As dinâmicas exigências com relação à conformidade, além dos crescentes custos com a implementação de um ambiente ecologicamente correto, estão trazendo para as empresas novos níveis de complexidades”, disse Leif Pedersen, vice-presidente de marketing para a área industrial da Siemens PLM Software. “Hoje mais que nunca os fabricantes precisam definir as estratégias e tecnologias certas para aumentar o retorno sobre o investimento e reduzir os custos com desenvolvimento das chamadas “iniciativas verdes””.

“Nossa pesquisa revela que embora várias empresas estejam fazendo progresso na criação de produtos ecologicamente corretos, elas estão sobrecarregadas com a necessidade de estar em conformidade com um grande número de regulamentações, além dos altos custos e o investimento necessário para usufruir as vantagens de tecnologias verdes como materiais ecologicamente corretos e menor consumo de energia”, disse Michelle Boucher, analista de pesquisa na área de Práticas de Engenharia e Inovação de Produtos do Aberdeen Group. “Otimizando seus programas para desenvolvimento de produtos verdes em todo o ciclo de vida do desenvolvimento, os fabricantes conseguem reduzir custos, cumprir os prazos para lançamento desses produtos ainda gerar novos negócios.”

Um resumo rápido das conclusões da pesquisa Sector Insight da Aberdeen por setor:

Aeroespacial e Defesa

Tendo que atender as constantes demandas de um grande número de órgãos reguladores, os fabricantes do segmento Aeroespacial e Defesa (A&D) dizem que a conformidade com as regulamentações referentes aos ambientes ecologicamente corretos está aumentando o desenvolvimento dos seus produtos em quase 50% mais que para os outros mercados. Comparada à média do mercado, os fabricantes do segmento Aeroespacial e Defesa precisam atender a requisitos bastante exigentes com relação à baixa, reciclagem e substâncias utilizadas. Na verdade 50% dos fabricantes do segmento Aeroespacial e Defesa seguem essas regras, comparados com a média de 38% dos outros segmentos. O projeto figura como a principal estratégia dentro deste segmento para estar em conformidade. Vinte e sete por cento das empresas do setor estão dedicando atenção especial ao desenho de produtos com emissão baixa ou zero de carbono, comparada aos 19% possíveis atualmente nos melhores produtos.

Apesar da ampla adoção de recursos que ajudam no projeto de produtos para menor consumo de energia, as empresas do segmento Aeroespacial e Defesa demoram para adotar ferramentas de software desenvolvidas para atender efetivamente esses requisitos. Para que elas possam cumprir os cronogramas de lançamento e metas de custo definidos e também atender as preocupações com o meio ambiente, é necessário que elas definam estratégias abalizadas mostrando que elas entendem claramente todos os conceitos e idéias envolvidos, para que com isso possam começar a pensar “verde”.

Automotivo

Os fabricantes do setor Automotivo estão envolvidos com “ecologia” há muito mais tempo que os outros segmentos, o que explica porque 78% dessas empresas já possuem uma iniciativa “verde” em andamento, comparado com 63% nas empresas dos outros segmentos.

O que é mais interessante é que o que começou originalmente como uma resposta às regulamentações do governo para reduzir a poluição e controlar a emissão de carbono, rapidamente transformou-se em uma missão de produzir veículos ecologicamente corretos para atrair um maior número de compradores. Mas embora ser ecologicamente correto possa representar uma excelente oportunidade de mercado para a indústria automobilística, isso também aumenta a complexidade do processo de desenvolvimento dos produtos, especialmente em termos dos custos associados ao desenvolvimento de novas tecnologias verdes. Por exemplo, 40% das montadoras citam a necessidade de fazer um grande investimento em produção para suportar o desenvolvimento de tecnologias e materiais mais verdes como o principal desafio, algo mencionado por apenas 24% das empresas dos outros segmentos do mercado. Outra grande preocupação entre da indústria automotiva é reduzir o consumo de combustível e a emissão gases tóxicos. Neste quesito as empresas da indústria automotiva ganham em inovação. Cerca de 53% estão bem à frente das empresas dos outros segmentos em termos de capacidade de criar sistemas que reduzam a emissão de carbono. Entre as demais, a porcentagem é de 30%.

Para resumir, as montadoras iriam lucrar mais se analisassem suas iniciativas verdes do ponto de vista do retorno sobre o investimento. Ou seja, para criar veículos ecologicamente corretos que os consumidores querem por um valor competitivo, as montadoras precisam transformar suas práticas e iniciativas de desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos de forma que as permitam também reduzir os custos com desenvolvimento.

Bens de consumo embalados

Praticamente metade de todos os entrevistados que pertenciam a empresas do segmento de Bens de Consumo Embalados citam a capacidade como maior pressão a ter um diferencial no mercado com o desenvolvimento de um produto verde. Semelhante aos demais segmentos do mercado, o maior desafio são os altos custos do desenvolvimento de tecnologias ecologicamente corretas. Mais especificamente, os fabricantes deste setor citam o custo dos materiais recicláveis e opcionais como uma preocupação praticamente duas vezes mais que as empresas dos outros setores, 30% em comparação com 17%. A realidade é que embora verdadeiramente comprometidas em serem ecologicamente corretas, as empresas deste segmento estão atrás das demais na adoção de iniciativas verdes. Por exemplo, apenas 27% delas atenderam explicitamente aos requisitos associados à baixa de produtos, capacidade de reciclagem e a outros requisitos regulamentares, comparado aos 67% das maiores.

Para que tenham sucesso no desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos é necessário que as empresas do setor de Bens de Consumo Embalados utilizem tecnologias que permitam automatizar a propagação das mudanças, oferecendo visibilidade em tempo real das alterações nos produtos e da conformidade com as regulamentações, além de garantir todo o processo de criação seja consistente e cada mudança atualizada em tempo real.

Alta Tecnologia e Eletrônicos

As empresas do setor de Alta Tecnologia e Eletrônicos que dizem estar em conformidade com as regulamentações dizem que a conformidade com as regulamentações verdes é a maior pressão no desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos. Na verdade os fabricantes do setor dizem que atualmente atendem a quatro ou mais regulamentações do mercado, 63% em média mais que os demais segmentos do mercado. Oitenta e um por cento das empresas do setor já tem uma iniciativa de desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos em andamento. Contar com tecnologia ecologicamente correta é a principal estratégia das empresas  deste setor, o que ocorre com 58% delas, comparada à média de 38% do mercado em geral.

A tendência hoje entre as empresas do setor de Alta Tecnologia e Eletrônicos é adotar tecnologias de simulação, especialmente simulação e análise de eletrônicos, uma tendência compartilhada por 63% das empresas deste setor, comparada a média de 40% do mercado. Essas ferramentas permitem que as empresas criem um protótipo virtual que as permitem reduzir os custos dos caros protótipos físicos, grandes consumidores de energia e de baixa durabilidade. As empresas do setor de Alta Tecnologia e Eletrônicos tem que se esforçar para atender ao grande número de regulamentações.  Para ajudar na conformidade elas estão implementando soluções para gerenciamento dos requisitos, utilizando tecnologias de simulação e definindo e documentando os requisitos de conformidade em termos de baixa dos produtos e substâncias utilizadas. Fica claro que embora as empresas do setor estejam concentradas em regulamentações como RoHS e REACH, elas também incluem estratégias sobre baixo consumo de energia e embalagens verdes às iniciativas de sustentabilidade para diferencial competitivo.

Maquinário (Fabricação de Equipamentos Industriais)

O maior motivo para o desenvolvimento de produtos verdes entre as empresas fabricantes de equipamentos pesados é o diferencial competitivo e os maiores desafios enfrentados por essas empresas são o alto custo do desenvolvimento de novas tecnologias e os respectivos investimentos em equipamentos, com efeito direto sobre o custo dos produtos. A principal estratégia deste setor em termos de desenvolvimento é ter sua própria tecnologia de consumo eficiente, algo possível para 54% das empresas deste segmento, contra a média de 38% entre as empresas dos outros setores do mercado.

Os fabricantes de equipamentos pesados têm uma grande oportunidade de melhoria com a adoção de tecnologias que suportam iniciativas verdes. Vinte e nove por cento das empresas do setor estão bem atrás das 50% melhores na utilização de soluções para o gerenciamento de portfólio ou idéias  que podem ajudá-las na criação dos produtos certos para o mercado. Para serem bem sucedidas em suas estratégias de desenvolvimento de produtos verdes, as empresas deste setor precisam encontrar formas de responder aos desafios que inflacionam os custos e atrasam os cronogramas de desenvolvimento. Precisam gerar e avaliar mais conceitos e idéias,de forma que possam realmente “pensar verde”.

Metodologia

O  Aberdeen Group analisou mais de 360 programas de desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos que ajudam as empresas a cumprir com as exigências regulamentares e a conquistarem diferencial competitivo. Para saber como as indústrias conseguem gerenciar com sucesso o desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos, foi feita uma comparação do desempenho dos entrevistados considerando cinco indicadores chave de desempenho em três categorias: os melhores (os 20% melhores); empresas com o pior desempenho (os 30% piores) e a média do mercado (os 50% restantes). Esses números incluíram o percentual de produtos que cumpriram os prazos de lançamento, as metas de receita, as metas de custo do produto, metas de custo de desenvolvimento e metas de qualidade.

“Com as empresas se concentrando em iniciativas verdes, elas precisam pensar em estratégias que garantam produtos ambientalmente compatíveis durante todo o seu ciclo de vida, bem como adotar as ferramentas e tecnologias certas para reduzir os custos com desenvolvimento e agilizar o retorno sobre o investimento”, disse Pedersen. “Desenvolver produtos ecologicamente corretos que atendam as demandas dos clientes e ainda tenham diferencial competitivo é o ideal da sustentabilidade.”

Estratégia abrangente de produtos

A Siemens PLM Software está ajudando as empresas a responderem a esses desafios com uma estratégia abrangente fundamentada em várias das suas soluções de software PLM como Teamcenter® para gerenciamento digital do ciclo de vida, o NX™ para desenvolvimento digital de produtos e Tecnomatix® para fabricação digital. 

A solução Teamcenter oferece uma fonte única de conhecimento de processos e produtos, permitindo que o fabricante capture e acompanhe os requisitos de conformidade, assim como controle o gerenciamento do programa durante todo o ciclo de vida do produto.  Com Teamcenter, as empresas ainda gerenciam a qualificação ambiental dos fornecedores como parte do processo de escolha e qualificação do fornecedor e controle de qualidade do processo. As funcionalidades de conformidade ambiental do Teamcenter permitem que o fabricante valide a conformidade dos produtos, durante todo o processo de desenvolvimento, segundo várias normas ambientais estabelecidas pelos Estados Unidos, União Européia e Ásia.  As funcionalidades de gerenciamento  do ciclo de vida dos serviços ajudam a estender a vida útil do produto. No final do ciclo de vida do produto, o Teamcenter também pode administrar esse processo, seguindo as instruções de baixa da lista de materiais que compõem o produto. 

A solução NX expande o foco da Siemens PLM Software em responder as iniciativas ambientais dos clientes de várias formas. Por exemplo, permite que os projetistas de embalagem visualizem continuamente todos os aspectos de um projeto em tempo real e tomem decisões quanto ao projeto com base nos requisitos para a criação de um produto ecologicamente correto, validados dentro do NX.  O desenho da embalagem também pode ajudar a reduzir ou otimizar os custos com transporte e logística. 

A solução NX ainda ajuda a reduzir o uso de materiais graças à otimização do desenho, análise de peso e simulação de montagem e desmontagem, algo muito usado nos setores automotivo, aeroespacial e de maquinaria  pesada. A solução também facilita a reutilização de peças, o que reduz a necessidade de projeto de novas ferramentas. Menos ferramentas significa menos matéria-prima, menor tempo de fabricação, maior economia de energia e conseqüente redução da emissão de carbono.

E finalmente a solução Tecnomatix ajuda as empresas no projeto, implementação e gerenciamento dos processos de fabricação em um ambiente digital. Otimizando os processos de fabricação e garantindo o uso eficiente de recursos, a Tecnomatix contribui para reduzir o desperdício de várias formas. Por exemplo, reduz a necessidade de transporte e evita a instalação de equipamentos desnecessários nas linhas de produção, com conseqüente redução da emissão de carbono. Otimiza as áreas de depósito e armazenamento, com conseqüente redução de espaço.

Para obter mais informações sobre os produtos da Siemens PLM Software adequados às suas necessidades e que atendem a diversos setores do mercado, acesse www.plm.automation.siemens.com/en_us/industries/.

Os relatórios da Aberdeen estão disponíveis e podem ser encontrados na íntegra nos seguintes links:

Sobre a Siemens PLM Software

A Siemens PLM Software, unidade de negócios da Divisão de Indústria da Siemens, é líder no fornecimento global de software e de serviços de gerenciamento do ciclo de vida de produtos (PLM), com 5,9 milhões de postos de trabalho e 56 mil clientes em todo o mundo. Com sede em Plano, no Texas, as soluções abertas de software corporativo da Siemens PLM possibilitam um mundo onde as organizações e seus parceiros colaboram através de uma rede de inovação global, para a oferta de produtos e serviços de primeira linha. Para mais informações sobre os produtos e serviços da Siemens PLM Software, acesse www.siemens.com/plm.

Sobre a Divisão de Automação Industrial da Siemens

A Divisão de Automação Industrial da Siemens (sediada em Nuremberg, Alemanha), parte do Setor Industrial da Siemens, é líder mundial nos segmentos de sistemas de automação, switchgear de baixa voltagem e software industrial. Seu portfólio abrange de produtos padrão para os nichos de manufatura e de processos, a soluções para indústrias complexas que englobam a automação de completas unidades de produção automobilística e a indústria química. Como uma fornecedora líder de software, a Automação Industrial otimiza toda a cadeia de valor agregado dos fabricantes – do design e desenvolvimento de produtos à sua produção, vendas e uma ampla gama de serviços de manutenção. Com cerca de 42.900 funcionários em todo o mundo, a Divisão de Automação Industrial da Siemens registrou, no ano fiscal de 2008, EUR $ 8,7 bilhões em vendas (preliminares e não auditadas).

# # #

Obs: Siemens e seu logo são marcas comerciais registradas da Siemens AG. Teamcenter, NX, Solid Edge, Femap, CAM Express e Velocity Series são marcas comerciais ou marcas comerciais registradas da Siemens Product Lifecycle Management Software Inc., ou de suas subsidiárias nos Estados Unidos e em outros países.Todas as outras marcas comerciais, marcas comerciais registradas ou marcas de serviços, pertencem a seus respectivos proprietários.

Informações para Imprensa Siemens PLM Software:
Karina Lotze/Fabiana Jacomini
Smart (11) 3376-5007
karina@smartci.com.br
fabiana@smartci.com.br

 

Contato Principal

Debra Dekelbaum
+1 972 987 3271
debra.dekelbaum@siemens.com